Anormal

Anormal

Pato Fu

Rádio ligado
Troco estações porque
Não sei o som que você
Pode odiar

No supermercado
Eu tento escolher
O mesmo sabor que você
Deve gostar

Se é que conheço você
Só de te observar
Posso apostar que não vai
Me decepcionar

Mais que anormal
Eu devo ser
Pra ver você
Em todo lugar

Dentro do quarto
Vejo comerciais
Qual vai te convencer
Que ainda estou lá

No supermercado
Tentando escolher
O mesmo sabor que você
Deve gostar

Se é que conheço você
Só de te observar
Posso apostar que não vai
Me decepcionar

Mais que anormal
Eu devo ser
Pra ver você
Em todo lugar
Pra ver você
Em todo lugar

Mais que anormal
Eu devo ser
Pra ver você
Em todo lugar

Vinil, nem sempre.

Sempre fui um defensor do vinil, não sei se é uma questão de qualidade do meio, mas agora eu acho que vejo que era só uma questão orgulho. Sou meio orgulhoso e um pouco perfeccionista com algumas coisas, principalmente quando se trata de minhas informações, chamo de informação tudo o que pode ser gravado de alguma forma, seja áudio, vídeo ou imagem, e todas as suas variantes.

O Vinil é bonito, é legal, a arte da capa é, em sua maioria, muito atraente. A visão da agulha literalmente correndo nos sulcos tem uma influencia meio mágica na música que ela reproduz. O vinil tem realmente muitas qualidades, mas tem um grande defeito, é analógico. Um dos grandes vilões do meio analógico é que (pelo menos para os simples mortais como eu) não dá pra automatizar a pesquisa, visualização e/ou reprodução. Imagine fazer um “Playlist” com todos os Tangos de sua coleção de vinil, fácil né, o problema está em fazer isso sem sua interação direta pra trocar discos, não preciso dizer o quão fácil é fazer isso com MP3 né. Pegue um bom software q tenha catalogação e seja um player e pronto. O que? não conhece nenhum que faça isso? Computador sub-utilizado né… Eu sei como é, já vi muito disso. – hehehehehe – Mas não esquenta, procura pelo Winamp, ela tem a “Media Library”, organiza seus mp3, mp4 e vídeos.

Pra terminar, essa foi uma declaração de um fã do vinil que acaba de se render aos encantos do áudio digital….

Não pense em pedir meu endereço pra vir buscar os vinis… o áudio deles vai pro digital 😉

Eu não sou maluco (não o tempo todo). Acha que abriria mão de um acervo de quase 500 discos assim fácil? Converter mídia pra digital é uma das coisas que gosto de fazer. E faço bem.